O que ainda ninguém te contou sobre ser nômade digital

O que ainda ninguém te contou sobre ser nômade digital

O que ainda ninguém te contou sobre ser nômade digital

Há 6 meses colocamos pela primeira vez as rodinhas do nosso motorhome nas estradas desse imenso Brasil com o nosso projeto Moporã na estrada (quando se está sob rodas, a imensidão toma outra dimensão! O Brasil é um mundo a parte, cheio de outros mundos menores). Seis meses pode parecer pouco tempo, mas para quem toca sozinho o seu próprio negócio e tem a estrada como sua morada, esse curto espaço de tempo toma a proporção de uma vida inteira de emoções, aprendizados e crescimentos.

Ser nômade digital é umas das modalidade mais recentes e inovadoras quando nos referimos a novos estilos de vida e de carreira e seus precursores estão descobrindo, através das suas próprias experiências, as dores e as delícias dessa nova forma de viver.

QUER SER NÔMADE DIGITAL NO BRASIL? PREOCUPE-SE COM A INTERNET!

Deus é brasileiro é uma frase que está estampada na carroceria de muitos caminhões com quem já cruzamos em alguma estrada ou posto de gasolina perdido por aí. E só quem percorre muitos quilômetros pelo solo sabe que isso é uma verdade incontestável. Uma infinidade de paisagens se desdobram a cada curva e a cada por do sol uma nova pintura se releva no céu. O Brasil é lindo demais e foi por esse motivo que decidimos, num primeiro momento, conhecer de verdade o nosso país.

Se você é aspirante a nômade digital e pensa em desbravar esse Brasil de Deus, prepare-se. A Internet em nosso país é extremamente precária. É só você avançar um pouquinho para o interior (não precisa ser muito não) que você ficará incomunicável ou, na melhor das hipóteses, terá uma Internet de péssima qualidade.

Divida a sua viagem em fases e escolha por um tempo uma base fixa em algum local onde você tenha a garantia que a Internet pega bem. Essa base deverá ser alguma cidade grande a média ou um local turístico, onde observamos mais antenas de celular. Tendo a sua base fixa, você ficará livre para explorar a região com o planejamento adequado para não depender da Internet naqueles dias.

Toda a operadora informa em seu site a sua cobertura por CEP. Essa pesquisa é fundamental antes de ir para qualquer lugar.

Carregue sempre a sua Internet contigo. Nós usamos um modem de 4G que garante Internet para 70% do mês e um outro menor que garante os outros 30%. Procure utilizar Wi-Fi de restaurantes e cafés para coisas menores como responder e-mails e utilize a sua Internet para coisas mais pesadas, como subir vídeos. Ah, gosta de assistir filmes no Netflix? Esqueça! Vá curtir a paisagem!

ESQUEÇA A SEPARAÇÃO CARTESIANA ENTRE TRABALHO E LAZER

Na verdade, eu nunca acreditei nessa linha imaginária que divide os nossos momentos de trabalho dos nossos momentos de não trabalho, nem quando eu pertencia ao mundo corporativo. Para mim, trabalho é energia produtiva. Logo, se eu estou lendo um livro que me deu um insight interessante, isso é trabalho. Se eu estou tendo uma conversa no bar sobre um projeto sensacional, isso é trabalho. E ao contrário também é verdade. Posso estar no escritório, sentado em minha cadeira na pose mais típica da trabalhadora do ano, rolando por 30 minutos a página do Facebook sem ao menos ler uma frase produtiva. Amigos, isso não é trabalho.

E essa relação que se mistura ficou cada vez mais clara na vida de nômade digital. Cenas onde eu me vejo deitada na rede na frente do mar respondendo um e-mail pelo celular ou assistindo um filme e anotando os insights que virarão o próximo post, ficaram cada vez mais comuns. Trabalho se funde com lazer e lazer com trabalho, não tem jeito.

Se você, aspirante à nômade digital, está acostumado com a rotina do labor de segunda a sexta das 08:00 às 17:00 e se nos fim de semana ou férias faz um esforço intencional para que a palavra trabalho passe longe de você, precisará rever o seu conceito de qualidade de vida. Alias, fins de semana e férias é algo que você deixará para trás.

APRENDA A DOMINAR SUAS ATIVIDADES

Se você, assim como eu fiz, pretende começar um negócio digital do zero e, assim como eu, também não é um expert em tecnologias, saiba que você terá que estudar! E muito. Hoje, ter um negócio digital é uma alternativa super viável para as pessoas que buscam exercer seu trabalho com mais autonomia e criatividade e é caminho que está sendo aderido por cada vez mais pessoas. Por essa razão, o acesso à ferramentas tecnológicas de navegação amigável está infinitamente maior. Você não precisa ser um super programador para conseguir montar o seu próprio site e isso facilita demais a vida do nômade digital.

Entretanto, ser um empreendedor digital significa minimamente conhecer e dominar os recursos básicos de todas as atividades que você vai exercer, ou seja, das ferramentas digitais ao planejamento financeiro. Você será o CEO e o office boy da sua própria empresa. Você vai ser o cara que monta o site, que faz o marketing, que faz o controle financeiro, que cuida da logística, além de, obviamente, dominar com maestria o seu assunto de trabalho, seja ele qual for (no meu caso, é desenvolvimento humano). Prepare-se para navegar entre o assunto mais estratégico até o mais operacional.

É claro que você pode contratar alguém para fazer essas coisas para você. Mas se o seu caso, assim como o meu, é o EUpreendedorismo, você precisará estudar para dominar as ferramentas e atividades dos seu negócio. E como uma antiga chefe minha dizia: “Só pode delegar quem conhece o que está delegando“.

VOCÊ VAI VIVER NUMA MONTANHA RUSSA EMOCIONAL

Empreender é assumir riscos. Você, voluntariamente, se coloca numa posição de vulnerabilidade e eu não estou falando apenas do aspecto financeiro. Você acredita demais na sua ideia, sabe que o seu produto pode revolucionar a vida das pessoas mas, até que o mundo compre o seu discurso, você estará nadando no mar da incerteza. E quando você está na incerteza, você vai vivenciar momentos de extremo terror e de extrema euforia num curtíssimo espaço de tempo.

E para o nômade digital, tudo isso é potencializado pela solidão e pela distância física. A família está longe, os amigos também e a sua casa não é bem a sua casa. Todos os elementos que garantiam o seu conforto emocional ficaram para trás e você terá que lidar, sem o apoio psicológico desses elementos, com a intensidade de emoções que vão surgir. À primeira vista pode parecer desesperador, mas viver estirões de experiências emocionais, além de ser lindo para o seu desenvolvimento pessoal, te fortalecerá absurdamente para qualquer desafios que se apresente a sua frente.

No fim das contas, a balança está sempre com o saldo positivo.

[Crédito da Foto: Christopher Gower]

[optin-monster-shortcode id=”etxsptdubxrrkvjsvb3d”]

 

 



Posts mais vistos


  • BAIXE NOSSO E-BOOK

shares